Fundos de Investimentos Imobiliários X CRI: Compare!

fundoss

Se você está procurando uma boa forma de diversificar sua carteira de investimentos, equilibrar riscos e garantir os melhores retornos no setor imobiliário, precisa saber mais sobre os Fundos de Investimentos Imobiliário (FII) e de Recebíveis Imobiliários (CRI).

São duas alternativas para quem busca investir no mercado imobiliário. Estes investimentos são adequados também para quem gosta de títulos de rendimento variável, no caso do FII, ou para quem pretende um rendimento ligeiramente superior no caso de renda fixa, no caso dos CRI.

O que são Fundos de Investimentos Imobiliário?

Os Fundos de Investimentos Imobiliários, como o próprio nome indica, são fundos de investimento destinados a investir em empreendimentos imobiliários. Esse invstimento permite que se obtenha uma boa margem de lucro na parte de compra, venda e arrendamento de imóveis sem a necessidade de se comprar diretamente.

Além da aquisição de direitos imobiliários, os FFIs também são utilizados para investir em títulos relacionados ao mercado imobiliário, tais como: letras de crédito de imóveis (LCI); outros Certificados de Capacitação (Cepac) Certificados de Recebíveis (CRI), cotas de letras hipotecárias (LH) de outros FIIs entre outros, isso envolve a regulamentação dos respectivos fundos.

Como funciona o investimento?

Os Fundos de Investimentos Imobiliários fechados têm um número limitado de cotas e não permitem que os cotistas entrem e saiam livremente.

Quando esses fundos são criados, o financiamento é aberto por um determinado período, durante o qual os candidatos podem reivindicar a compra de licenças a um determinado preço. Isso é chamado de período de oferta pública.

Ao final do período de captação, cada acionista receberá a quantidade de ações que solicitou, não sendo mais aceitas novas cotas e novas contribuições. Se por algum motivo o gestor decidir aumentar o patrimônio do fundo – por exemplo, porque precisa de mais dinheiro para um novo investimento – ele deve fazer uma nova emissão de ações e promover uma nova oferta pública.

Os resgates também não são permitidos durante a duração do Fundos de Investimentos Imobiliários. Eles surgem apenas se o fundo deixar de operar. Para que um investidor saia do investimento e retorne o valor investido, ele deve vender suas ações para outro interessado.

Comprar cotas de outro investidor é, na verdade, a única forma de se tornar acionista de um Fundos de Investimentos Imobiliários fechado ou de aumentar sua participação fora do período de captação.

Em outras palavras, em um fundo imobiliário, um investidor não pode investir no fundo ou recomprar suas ações à vontade. Se você quiser comprar mais ações fora do período de captação de recursos, deverá comprá-las de outro investidor; e se você quiser se livrar delas durante a vida do fundo, terá de vendê-las a outro investidor.

No caso dos fundos imobiliários, esse processo de compra e venda de ações é facilitado, uma vez que a maioria das cotas do FII é negociada em bolsa como se fossem ações.

E aí, gostou do nosso conteúdo? Aproveite e compartilhe em suas redes sociais para mais pessoas conhecerem sobre Fundos de Investimentos Imobiliários  e claro não deixe de postar sua opinião abaixo, ela é importante para nós.